Categorias
Editorial

O Estado social, o Estado corporativo e o estado a que chegámos

A Ana [1] é uma veterana da blogosfera. Quando a conheci, no final de 2006, já ia no seu segundo blogue [2] (entretanto desactivado), mas já contava, então, mais de dois anos de escrita na blogosfera. Mas, ainda antes disso, já a Ana escrevia em papel, tendo nos tempos da faculdade fundado um jornal, em conjunto com mais colegas. Também já não é a primeira vez que a Ana e eu colaboramos na escrita: mantivemos uma curta (e incompleta, mas que talvez venhamos a recuperar) aventura bloguista a quatro mãos em 2007 [3]. Agora, a Ana aceitou o meu convite para se juntar a mim [4], ao Hélder [5] e ao Hugo [6] e tornar-se a quarta colunista [7] da Rua da Constituição.

Salgueiro Maia [8] disse numa noite memorável [9] da História de Portugal:

— Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados sociais, os corporativos e o estado a que chegámos.

A Ana decidiu que a sua coluna iria acrescentar uma nova modalidade a estas três: o Estado de Sítio; pois é esse o nome da coluna que escreverá na Rua da Constituição. A partir de hoje [10], contaremos então com a sua opinião, quinzenalmente, à Sexta-feira.

Um comentário a “O Estado social, o Estado corporativo e o estado a que chegámos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *