Categorias
Crónicas Altitude

Ardam no Inferno, incompetentes!

Por Hélder Oliveira Coelho

A caminho da Guarda, encontro um grupo de crianças acompanhadas pelas professoras primárias. A doçura da infância é, por definição, um encanto. É certo que a energia se concentra de forma inversamente proporcional ao tamanho. As potencialidades da infância podem e devem ser estimulados o mais possível. É responsabilidade das gerações vigentes garantir condições para evoluir às gerações que nascem.

Uma sociedade não pode demitir-se de educar os filhos. Abrir os braços para que cresçam com amor e afecto, mas não pode deixar de os preparar para as dificuldades do futuro. A família deverá sempre ser por excelência o cerne da educação das crianças.

Todavia, a sociedade tem o dever de dar continuidade e substância ao que, preferencialmente, já se iniciou no lar. Por consequência, a responsabilidade de quem forma as crianças na primeira escola é fundamental. O período em que a dinâmica do jogo passa a competir com o estímulo das lições é complexo e exige gente bem capacitada.

A base formativa dos nossos professores deverá ser tão sólida quanto possível. O rigor da avaliação de quem exerce o magistério deve ser tanto maior quanto melhores homens e mulheres quisermos preparar para o exercício da cidadania.

Por diversas vezes, tenho defendido com todo o fervor os nossos professores [1], feito vigorosos incentivos para que, dia após dia, continuem a construir o sucesso do nosso País.

Voltando à minha viagem… Indago-me quantos professores saídos de «eses» deste País [2] não deveriam sequer ter terminado o liceu, quanto mais ingressado no ensino superior. A par com as aptidões científicas e académicas, deveria ser efectuada uma rigorosa avaliação das qualidades pedagógicas e humanas dos professores do primeiro ciclo. Há que afirmar categoricamente que muitos professores comprometem o trajecto de muitas crianças e arruínam o futuro de muitos jovens.

Tenho muita pena que não possam ser responsabilizados pelos danos que lhes causam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *