Categorias
Transporte Humano

Sobre as redes frequentes: um pedido de ajuda

Por Jarrett Walker [a]

Estou a preparar alguma pesquisa sobre a marca «rede frequente» e gostaria de pedir a ajuda dos leitores.

Todos sabemos que a frequência é um dos factores mais importantes para determinar se o transporte colectivo é útil, uma vez que determina o tempo de espera. Durante anos, eu promovi a ideia de que os operadores de transportes colectivo devem anunciar, como um produto separado, os serviços que são frequentes durante todo o dia e todo o fim-de-semana — digamos, a cada quinze minutos ou menos. Estes serviços constituem a rede onde o passageiro pode deslocar-se em transporte colectivo sem organizar a sua vida em função do horário. Para mim, isso parece um limiar básico de utilidade que vale a pena publicitar.

A Tri-Met, em Portland, foi um dos primeiros operadores na América do Norte a identificar o seu serviço frequente como um produto separado e de melhor qualidade [2]. O seu mapa tem o seguinte aspecto:

Estou ciente de mapas ou designações semelhantes em Los Angeles, San Antonio, Adelaide e Brisbane, e dum produto similar em Lille, França, chamado lignes d’ autobus à haut niveau de service (literalmente, «linhas de autocarro com alto nível de serviço»).

Alguém viu uma designação ou marca similar nos materiais publicitários de qualquer outro sistema de transporte colectivo? Para mim, a chave que define os termos dum «serviço frequente» são:

  • A marca isola e promove serviços que funcionam o dia todo, com frequência suficiente para que o passageiro não tenha de planear a sua viagem com recurso a um horário. Normalmente, este limiar é uma frequência de dez a vinte minutos, mais habitualmente quinze.

  • Inclui serviços locais, e não apenas serviços expresso ou rápidos.

  • Aplica-se, pelo menos, aos autocarros, ou, melhor ainda, a todos os modos que satisfazem o padrão. O exemplo acima, de Portland, apresenta tanto linhas de autocarro (mais estreitas) como de metro ligeiro (mais largas).

  • O operador procura apresentar a rede frequente como um produto distinto e melhor, de forma que seja facilmente compreendido pelas pessoas que só achariam útil um serviço deste tipo. Isto pode ser, simplesmente, uma forma de destacar as linhas em causa no mapa da rede geral, ou pode abranger mais recursos, tais como um mapa separado apenas com o serviço frequente, sinalização de paragem distintiva, nomenclatura distinta, etc..

Eu desenvolvi uma espécie de especialização profissional em ajudar operadores de transporte colectivo a definir redes frequentes como forma de tornar os seus melhores serviços visíveis. Eu gostaria de confirmar o meu conhecimento sobre o estado global da arte; por isso, se o leitor já viu algo semelhante ao que acabo de descrever numa das suas viagens em transporte colectivo, por favor informe-me por correio electrónico [b, 3] ou deixe ficar um comentário.

Obrigado! Mais sobre este tópico em breve.


Notas:

a: Este artigo foi adaptado do original [1] pelo editor chefe (n. do T.).

b: A confidencialidade do correio electrónico está garantida (n. do A.).

0 comentários a “Sobre as redes frequentes: um pedido de ajuda”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *