Categorias
Crónicas Altitude

É possível mudar o paradigma

Por Hélder Oliveira Coelho

Sofremos de um provincianismo bacoco e de um bairrismo saloio. Cada vez mais me convenço disso. Entristece-me a forma como quem de direito faz a gestão trôpega desta cidade [1]. Estava tentado a desenvolver mais uma vez o tema… mas confesso ter já alguma pena da nossa classe política. Acredito tratar-se do corolário directo da falta de empenho colectiva. Não retiro a minha co-responsabilidade.

A cada ano que termina, renovam-se os votos de felicidade e prosperidade.

Sempre houve períodos de grande pesar… Porém não creio que tenha existido um período de tão grande transformação. A Revolução Francesa marcou o momento de viragem para o pensamento político actual. A Revolução Industrial criou a alavanca para o mundo moderno e de lá se caminhou para a actualidade. A velocidade a que tudo se transforma não encontra nenhum período paralelo em toda a História da Humanidade. Em menos de um século, caminhou-se do burro à Lua. Os velhos paradigmas, os antigos valores sofrem ajustes e transformações. Não é fácil dar conta deles.

Por outro lado, a tendência para que os falsos messias surjam com soluções milagrosas aumenta. E disso a História traz-nos infelizes memórias. Também os velhos do Restelo, os descrentes, os que ajudaram a cavar a sepultura das nossas almas, também esses devem ser ouvidos com cautela. Ou não ser ouvidos de todo! Quem cava a sepultura não costuma ajudar a salvar o doente.

2013 será um ano muito difícil [a]. Pouco adianta o desejo quase hipócrita de melhores dias. Todos sabemos que serão piores.

Contudo, a atitude que tomamos é que faz a diferença. Assumir as dificuldades como um dado adquirido e exigir que cada um faça o seu melhor para as corrigir. Para 2013 não espero que o destino nos ofereça coisas melhores. Mas conto lutar por um destino melhor. E diz o povo no ditado: «põe a mão, que Deus porá a virtude». Estamos em tempo de usar todas as virtudes. Haja vontade de pôr a mão à obra.

Nada mais se espere de 2013. Apenas a força e a coragem de dar mão, esforço e alma a tudo quanto pudermos. Tentemos agarrar este mundo. Ou tentemos usufruir dele o melhor que nele há. Retire-se do quotidiano, do trabalho a mensagem positiva. E vejamos no colega do lado um amigo. Não resolve problemas, mas facilita! Olhemos nos olhos de quem amamos e aproveitemos cada minuto. Se a consciência de cada um estiver liberta dos pesos da incúria, então o ano será melhor.

A 4 de Janeiro de 1643 Nascia Isaac Newton. Para quem não acredita que é possível mudar os paradigmas do mundo!

Votos de um Próspero 2013.


Notas:

a: Esta crónica foi originalmente difundida na Rádio Altitude [2] em 4 de Janeiro de 2013. (N. do E.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *