Categorias
Consultório da Ria

A boca

Por Carlos Lima

«Boca» deriva do latim e significa bochecha. A boca ou cavidade oral é formada pelas bochechas, palato duro, palato mole, língua, glândulas salivares e dentes.

Os lábios e as bochechas são revestidos por pele na parte externa e por mucosa na parte interna. Funcionam como paredes, para manter a comida dentro da boca e, com a ajuda da língua, entre os dentes, no processo de mastigação. Têm também importância para a emissão e modulação dos sons.

A parte superior da boca é constituída pelo palato duro na parte anterior e pelo palato mole na parte posterior e termina numa estrutura em pendulo chamada úvula palatina, que ajuda a fechar as coanas, ou aberturas posteriores do nariz. A boca termina na orofaringe, por uma abertura denominada istmo das fauces.

A língua é um músculo e forra praticamente todo o pavimento da boca. É revestida por mucosa e ajuda a manipular os alimentos durante a mastigação, está envolvida no processo da fala e é o nosso órgão destinado às funções gustativas.

As glândulas salivares são três: as parótidas (que, quando estão afectadas, dão origens às parotidites), as submandibulares e as sublinguais. A composição da saliva é 99,5% água, sendo o restante solutos e enzimas, entre as quais a lisozima, que é o nosso antibiótico natural. A saliva serve para humidificar, lubrificar e lavar a boca. Durante a mastigação ajuda a formar um bolo flexível, capaz de ser deglutido através da orofaringe e do esófago. Produzimos um a dois litros de saliva por dia, dependendo do nosso estado de hidratação e da exposição a aromas, ou degustações que desencadeiem o processo de salivação.

Os dentes são estruturas acessórias necessárias para cortar, rasgar e triturar os alimentos, para os transformar em tamanho suficientemente pequeno para ser deglutido. São ajudados nesta função por músculos muito poderosos que fazem movimentar o maxilar inferior.

A mastigação é a principal função da boca. Para que o alimento seja satisfatoriamente mastigado, devem ser mastigados entre dezasseis e trinta e duas vezes, para garantir uma estrutura homogénea do bolo alimentar e garantir a acção da saliva, que começa a digestão de muitos nutrientes logo na boca, em particular a do amido. A qualidade da mastigação torna-se assim fundamental para uma boa digestão.

A saliva tem uma importante função de lavagem da boca, principalmente a segregada depois da deglutição do alimento, mas é necessário proceder a uma lavagem de todas as estruturas adjacentes, como a língua, as bochechas e os dentes. Isto assume particular importância durante o período de repouso, em que a produção de saliva é residual, e depois do consumo de alimentos muitos viscosos, como é o caso dos chocolates e dos rebuçados. Lembre-se de que o processo de degradação do dente é lento numa fase inicial (esmalte), mas quando atinge estruturas mais profundas (dentina e polpa) é muito rápido e doloroso.

As aftas são um dos problemas mais frequentes e recorrentes da boca; acredita-se que estão associadas a uma diminuição das defesas do organismo. Uma das formas de preveni-las é a promoção de uma boa hidratação, o consumo de fruta e legumes com regularidade, de forma a fornecer ao organismo todos os nutrientes de que precisa para o seu bom funcionamento.

Saúde!

8 comentários a “A boca”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *