Categorias
Consultório da Ria

Alimentação saudável

Por Carlos Lima (com DS e LS)

Apesar de se pensar que a alimentação é um tema bastante divulgado, o que se verifica, na generalidade, é que as pessoas não adoptam hábitos alimentares saudáveis — especialmente a faixa etária dos adolescentes, que preferem consumir a chamada fast-food.

A alimentação desempenha funções de extrema importância, sendo que assegura a nossa sobrevivência, fornece a energia e os nutrientes [1] de que o nosso organismo necessita, contribui para a manutenção dum correcto estado de saúde física e mental e participa ainda na prevenção dalgumas doenças, nomeadamente as doenças cardiovasculares.

Ter hábitos alimentares saudáveis não é sinónimo duma alimentação restritiva ou monótona — muito pelo contrário, visto que esta assenta na variedade, sendo tão mais saudável, quanto mais variada for. Adquirir estes hábitos alimentares não impede o consumo de alimentos menos saudáveis: podemos continuar a ingeri-los, desde que de forma moderada. Assim, fazer uma alimentação saudável pode constituir uma oportunidade de experimentar novos pratos e enriquecer os nossos hábitos alimentares.

Ao abordar o tema da alimentação, é imprescindível referir a tão conhecida roda dos alimentos [2]. A actual roda dos alimentos é composta por 7 grupos de alimentos de diferentes dimensões, os quais indicam a proporção com que cada um deles deve estar presente na nossa alimentação diária. Assim, temos:

  • O grupo dos cereais — como o arroz, o milho e o trigo —, derivados — a farinha, o pão e as massas — e tubérculos, como a batata;
  • O grupo dos produtos hortícolas, que se subdivide em hortaliças — as nabiças, os grelos e a couve — e legumes — a cenoura, a cebola e o alho;
  • O grupo das frutas, como a laranja, o melão e a maçã;
  • O grupo dos lacticínios — o leite, o queijo e o iogurte;
  • O grupo da carne — diferenciando-se as carnes vermelhas, como a vaca e o porco, e as carnes brancas: aves e coelho —, pescado — desde peixes a crustáceos e marisco — e ovos;
  • O grupo das leguminosas, subdividindo-se em frescas — como as ervilhas e favas — e secas — como o grão-de-bico e o feijão —;
  • O grupo das gorduras e óleos, que inclui o azeite, óleos alimentares, banha de porco e manteiga.

A água [3], apesar de não possuir um grupo próprio, está presente em todos os alimentos, fazendo parte da sua constituição, o que valoriza a sua importância na alimentação. Sendo a água imprescindível à vida, é fundamental que se beba em abundância diariamente, cerca de 1,5–3 litros.

Assim, a roda dos alimentos pressupõe que, para a alimentação ser saudável, é necessário que seja completa, equilibrada e variada, isto é, devemos ingerir alimentos de todos os grupos da roda, nas proporções indicadas, e consumir diferentes alimentos dentro do mesmo grupo.

Existem algumas recomendações para a promoção duma alimentação saudável, dentro das quais se podem citar:

  • A realização de cerca de cinco refeições diárias, pouco abundantes e com um intervalo entre elas de cerca de três horas, para não sobrecarregar o estômago;
  • As refeições devem ser confeccionadas de forma a facilitar a digestão e a mastigação, sendo que se deve evitar o uso de gorduras e de condimentos fortes e mastigar correctamente os alimentos;
  • Aumentar o consumo de legumes, frutas, lacticínios, cereais e derivados e incluir uma porção de leguminosas na alimentação, sendo estes importantes fornecedores de vitaminas, minerais, fibras e hidratos de carbono;
  • Dar preferência ao consumo de carnes brancas, como as aves e o coelho, e aos peixes menos gordos, como o bacalhau;
  • Reduzir — ou mesmo evitar — o consumo de sal, de gordura e de produtos açucarados.

Para complementar estes hábitos alimentares, é também muito importante a prática de exercício físico, cerca de trinta minutos por dia.

A alimentação desempenha de facto um papel importantíssimo no nosso organismo, pelo que, tomando consciência disto, devemos optar por hábitos alimentares saudáveis e equilibrados, nomeadamente a ingestão de legumes, frutas, cereais, lacticínios, que surtirão efeitos positivos na saúde física e mental e permitirão ter uma melhor qualidade de vida, visto que contribuem para a prevenção de doenças relacionadas com más práticas alimentares, como a obesidade [4], a hipertensão e a diabetes.

3 comentários a “Alimentação saudável”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *