Categorias
Consultório da Ria

Jean Tirole

Por Hugo Pinto de Abreu

O vencedor do Nobel da Economia 2014 — ou, para ser mais correcto, o vencedor do Prémio de Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel 2014 [1], dado que não existe, em rigor, um Prémio Nobel da Economia — tem passado relativamente despercebido, tanto que o ouvinte provavelmente nem se recorda a quem foi atribuído e porquê.

O laureado foi o economista francês Jean Tirole, Professor da Toulouse School of Economics, da Universidade de Tolosa, e o prémio foi atribuído «pela sua análise do poder de mercado e da regulação» [2].

De facto, Jean Tirole é um economista que se especializou nas áreas da Economia Industrial e da Teoria dos Jogos [3]. Impõe-se aqui um aparte: também nas Ciências Económicas, como na Medicina, por exemplo, há especialidades; e um especialista duma área pode perceber pouco doutra área diferente. Isto normalmente fica muito pouco claro e, por vezes, parece que os economistas sabem um pouco de tudo, até doutras áreas, fora da Economia. Não é verdadeiramente assim.

Dizia que as áreas da Economia Industrial e da Teoria dos Jogos tratam os problemas das interacções estratégicas entre empresas, num determinado mercado, e como elas afectam o bem-estar dos consumidores e o funcionamento do mercado: são áreas fundamentais, nomeadamente no contexto da regulação, ou seja, para uma compreensão científica e tão exacta quanto possível da forma como o Estado pode impedir situações prejudiciais ao conjunto da sociedade e, em particular, aos consumidores. Um exemplo prático de aplicação deste saber dá-se nos processos de fusão de grandes empresas, que normalmente requerem aprovação da Autoridade da Concorrência, que avaliará se a junção dessas grandes empresas não lhes dará um poder de mercado tal, que possa prejudicar os consumidores e toda a sociedade.

Estas áreas são, evidentemente, um daqueles redutos de poder económico que os Estados ainda têm e é bom que tenham: o da regulação. Entende-se muito bem, portanto, a atribuição deste «Prémio Nobel» a Jean Tirole.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *