Categorias
Consultório da Ria

O enxofre

Por Carlos Lima

O enxofre é um elemento químico essencial a todos os organismos vivos, sendo constituinte importante de proteínas (colagénio) [1], hormonas (insulina) [2] e vitaminas (tiamina e biotina). Regula várias actividades corporais e é necessário para a produção de energia corporal obtida na ausência de oxigénio, ou seja, actividade anaeróbia (é esta energia que nos permite reagir rapidamente em caso de perigo, ou medo).

O enxofre também participa na entrada de oxigénio no cérebro [3], na composição da bílis, e, em conjunto com a vitamina B, mantém o sistema nervoso saudável. Ao fazer parte de proteínas, como a queratina, ajuda a manter os cabelos [4] e as unhas [5] saudáveis.

É também usado em algumas fórmulas medicamentosas, nomeadamente antifúngicos e laxantes.

A eliminação do excesso é regulada pelo rim [6], através da urina. A falta de enxofre afecta praticamente todos os sistemas corporais, devido à sua acção nas enzimas, nas hormonas e nas proteínas, tornando-se evidente nos cabelos e nas unhas, que se tornam quebradiços, em problemas biliares e de coagulação [7], no maior risco de aparecimento dalgumas demências.

Uma dieta equilibrada fornece a quantidade de enxofre necessária, sendo precisa também a presença de molibdénio para que ocorra a oxidação do enxofre, mas os alimentos que fornecem o enxofre são praticamente os mesmo que fornecem as quantidades adequadas de molibdénio. Encontram-se em alimentos como carnes (vaca, ovelhas, frango), peixes, ovos, leite, queijo, iogurtes e feijão.

Ao fazer parte da composição de vários fertilizantes, sulfatos e insecticidas usados na agricultura, pode tornar-se tóxico, quando entra através da respiração e atinge o pulmão [8], podendo desencadear hemorragias pulmonares, que levam à asfixia, ou seja, falta de ar; daí a importância da utilização das protecções recomendadas para a aplicação destes produtos.

É usado para estabilizar algumas bebidas alcoólicas, através dos sulfitos, e na produção de açúcar refinado.

Em Portugal, no ano de 2003, segundo o Instituto do Ambiente, foram libertadas na atmosfera cerca de duzentas mil toneladas de óxidos de enxofre (SO). Destes, cerca de 35% tem origem na zona de Sines. O dióxido de enxofre (SO2) é o responsável pelo maior aumento na acidez da chuva, sendo produzido directamente como subproduto da queima de combustíveis fósseis, como a gasolina, o carvão e o gasóleo. O gasóleo e o carvão são muito impuros e contêm grandes quantidades de enxofre na sua composição, sendo responsáveis por uma grande parcela da emissão de SO2 para a atmosfera. A chuva ácida (pH inferior a 5,6) pode afectar os seres vivos, através da contaminação do ambiente, nomeadamente da água, o que a torna perigosa.

O enxofre participa nos processos vitais, pois é necessário para a produção de proteínas, de hormonas e de vitaminas. As quantidades necessárias são pequenas e fornecidas por uma alimentação adequada. Ter atenção à manipulação de produtos que incluem o enxofre é fundamental, porque, em certas circunstâncias, ele torna-se tóxico. A poluição atmosférica contém grandes quantidades de enxofre e pode afectar a sua a saúde, por isso ajude a proteger a natureza e saia beneficiado.

Saúde!

Um comentário a “O enxofre”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *