Categorias
Consultório da Ria

O ferro

Por Carlos Lima

O ferro é um componente essencial da hemoglobina, ao ponto de 65 % do ferro corporal se encontrar nessa proteína. A hemoglobina é um importante componente dos glóbulos vermelhos [1]. A cor vermelha do sangue deve-se à presença do ferro. A hemoglobina tem como principal função o transporte de oxigénio para as células e retirar delas o dióxido de carbono, participando assim na produção e libertação de energia no corpo.

Colabora na defesa corporal, pois está presente em praticamente todos os componentes do sistema imunitário [2], mas é nos macrófagos que mais se nota a sua acção.

O ferro também participa na composição de muitas moléculas orgânicas e é fundamental para o crescimento e o desenvolvimento do organismo.

No feto [3] e no bebé [4], é necessária uma maior quantidade de ferro, devido ao crescimento extremamente rápido — daí ser importante um controlo rigoroso dos valores da hemoglobina e do ferro, bem como a suplementação de ferro na grávida. Durante gravidez, se não houver um bom fornecimento externo, o bebé vai buscá-lo à mãe e esta pode desenvolver anemia [1].

A absorção do ferro é feita no intestino delgado [5], mais acentuadamente no duodeno, e apenas é absorvido 10 a 15 % do ferro presente nos alimentos. Depois, é armazenado no corpo, sob a forma de ferritina e hemossiderina, principalmente no fígado [6], no baço [7], na medula óssea [8] e nos glóbulos brancos [9]. O organismo recicla praticamente todo o ferro presente na hemoglobina. Quando os glóbulos vermelhos morrem, dá-se a decomposição das diversas moléculas presentes, sendo o ferro enviado para a medula óssea, a fim de participar na composição de novos glóbulos vermelhos.

Os alimentos de origem vegetal fornecem um tipo de ferro que é de mais difícil absorção, pois precisa de processos digestivos mais complicados, mas são mais ricos em ferro. O ferro de origem animal é mais facilmente absorvido. Os alimentos ricos em ferro são os cereais, a carne, o peixe, alguns vegetais, o feijão, os ovos e a fruta.

Há alimentos e nutrientes que facilitam a absorção de ferro, tais como a vitamina C, presente nos citrinos, como a laranja, nos quivis, etc., as carnes vermelhas, que não só fornecem ferro, mas também estimulam absorção de ferro vegetal, e pela vitamina A e pelo beta-caroteno, presentes na cenoura.

Existem, no entanto, alguns alimentos que limitam a absorção de ferro no intestino, nos quais se incluem os que contêm taninos, dos quais são exemplo os chás, o café, o vinho tinto, alimentos que contenham elevado teor de gordura, alimentos ricos em cálcio, cobre e manganês e proteínas de soja, pelo que não devem ser ingeridos na mesma refeição.

A anemia é a doença mais comum associada à falta de ferro e pode ter diversas origens:

  • Alimentação pobre em ferro, como é o caso das carências alimentares e dos seguidores de dietas vegetarianas, em que fica a faltar um dos tipos de ferro;
  • Má absorção intestinal, como é o caso das pessoas submetidas a cirurgia gástrica e as pessoas com carência de vitamina B;
  • Excesso de consumo, como é o caso das mulheres em idade fértil, com menstruações muito intensas;
  • Situações hemorrágicas, principalmente as hemorragias crónicas, como acontece com os portadores de úlcera gastroduodenal.

O ferro é importante para a formação dos glóbulos vermelhos e para o bem-estar do sistema imunitário, para o crescimento e o desenvolvimento corporal, entre outras funções. Para a pessoa comum, uma dieta alimentar equilibrada é suficiente para fornecer as quantidades de ferro necessárias. Porem, o bebé, quando não alimentado por leite materno; a criança; as mulheres em idade fértil; as grávidas; e as pessoas que pratiquem desporto a nível profissional — poderão precisar de suplementação, mediante controlo analítico avaliado pelos seus técnicos de saúde.

Saúde!

Um comentário a “O ferro”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *