Categorias
Consultório da Ria

A temperatura corporal

Por Carlos Lima

O corpo humano mantém um equilíbrio muito estável da sua temperatura corporal, através de mecanismos de regulação, produção e perda de calor, para responder a alterações que ocorrem internamente (exercício, por exemplo) e externamente (meio ambiente). Existem algumas situações que alteram a temperatura corporal — uma das quais é a febre.

A temperatura corporal tem poucas variações na mesma pessoa (37 °C) e mantém um padrão regular. Estas pequenas variações ocorrem como resposta ao meio ambiente, à actividade mais intensa, à ingestão de alimentos e a variações regulares ao longo das 24 h — o chamado ritmo circadiano, que condiciona uma temperatura ligeiramente superior entre as dezasseis e as dezoito horas e uma menor temperatura entre as quatro e as seis horas da manhã, mesmo para pessoas que trabalham de noite e dormem de dia. Estas variações podem rondar 1 °C ao longo das vinte e quatro horas.

As principais fontes de produção de calor são a actividade celular, no aproveitamento que faz dos nutrientes [1] e do oxigénio, com a ajuda de enzimas [2] e de hormonas [3]; a ingestão de alimentos, pois, durante a digestão, a produção de calor no aparelho digestivo [4, 5, 4, 7, 8, 9, 10, 11, 12] é significativa, devido às inúmeras reacções que aí ocorrem; e o sistema muscular [13], através dos tremores ou arrepios, que podem aumentar a produção de calor corporal em quatro vezes.

Apesar da temperatura corporal se manter muito estável, a produção de calor sofre grandes variações, para se ajustar às necessidades de regulação de temperatura.

A pele é um órgão fundamental na regulação, pois funciona quer para evitar a perda de calor, quer para aumentar as perdas de calor. Serve também de sensor para a percepção da temperatura ambiente, enviando estímulos para serem interpretados pelo cérebro [14] e traduzidos no órgão regulador da temperatura corporal, o hipotálamo [15].

A distribuição corporal do sangue [16] e o ritmo cardíaco são influenciados pela temperatura corporal. Quando é preciso perder calor, o sangue é reencaminhado e distribuído mais junto da pele, o ritmo cardíaco abranda e o metabolismo [17] baixa, daí a «moleza» que se sente nos dias e nos ambientes quentes. Quando estamos em ambientes frios, os vasos sanguíneos da pele ficam contraídos, os poros fecham-se e as células de gordura da pele ficam mais próximas (por vezes em pele de galinha) e funcionam como barreira isolante.

A temperatura corporal varia de pessoa para pessoa e ao longo da vida. As crianças são mais sensíveis e reagem muito às variações ambientais; por seu turno, os idosos têm mais dificuldades de adaptação. Por esses motivos, quando há risco de frio intenso ou ondas de calor [18, 19], os alertas incidem sobre estes grupos.

A febre é uma alteração da temperatura corporal, fazeindo-a subir. É um mecanismo de defesa contra a agressão causada principalmente por bactérias e vírus. Tem como objectivo criar condições desfavoráveis aos agentes invasores (que, regra geral, são muito sensíveis a pequenas variações da temperatura), aumentar o metabolismo corporal [17] e favorecer a replicação celular no sistema de defesa (glóbulos brancos [20]).

A ingestão de líquidos e a temperatura dos mesmos pode facilitar a regulação da temperatura corporal; de qualquer modo, não está recomendada a ingestão de líquidos muito quentes em ambientes frios, nem de bebidas muito frias em ambientes quentes, porque alteram abruptamente a dinâmica de regulação, podendo induzir o corpo a dar a resposta errada.

Saúde!

7 comentários a “A temperatura corporal”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *