Categorias
Perspectivas em Saúde

Como reforçar o sistema imunitário

Por Gustavo Martins-Coelho



Olá!

Toda a gente fala de Covid-19, mas ninguém fala muito de como reforçar o sistema imunitário para estarmos mais protegidos contra a Covid-19.

O sistema imunitário é responsável pela defesa do organismo contra os agentes infecciosos externos, como vírus, bactérias e fungos (e não só, mas o resto não vem ao caso agora), de modo que, em plena pandemia, é importante tê-lo na sua melhor forma.

Ora bem, quando se fala de reforçar o sistema imunitário, creio que a maioria das pessoas pensa em pílulas, ou suplementos nutricionais, ou iogurtes especiais de corrida. Não estão totalmente errados, mas estão a olhar para a parte menos importante da coisa e a ignorar a mais importante. A melhor forma de manter o sistema imunitário pronto e eficaz é levar um estilo de vida saudável:

  • Fazer exercício físico — pelo menos 2h30 de exercício físico moderado por semana [1];
  • Fazer uma alimentação variada e equilibrada — rica em fruta e vegetais;
  • Manter um peso saudável — ter um índice de massa corporal abaixo de 25, através duma alimentação saudável e da prática de exercício físico;
  • Ter um sono de qualidade — dormir o número de horas suficientes e ter uma boa higiene do sono;
  • Reduzir o estresse — praticar actividades que promovam o equilíbrio emocional, como sejam conviver com as pessoas queridas (de preferência não presencialmente, nos tempos que correm, mas há muitas formas de fazer videochamadas), sair de casa (um passeio, desde que não seja parar a cada passo para ver montras, faz maravilhas pela saúde mental e ainda conta para as 2h30 de exercício físico semanal), praticar meditação e arranjar um passatempo (pode ser arte ou outra coisa qualquer);
  • Deixar de fumar — o tabaco não prejudica só os pulmões, mas também o sistema imunitário e muitas outras funções do organismo;
  • Beber álcool em moderação — ou evitar de todo;
  • E, claro está, respeitar as medidas de prevenção da infecção — lavar as mãos, cumprir o distanciamento social, usar máscara, evitar locais com muita gente e respeitar a etiqueta respiratória.

Isto é o mais importante. Se não estiver para aí virado, a parte seguinte da rubrica de hoje não lhe interessa de todo, porque é que vou dizer é um complemento e não um substituto do que acabei de dizer.

Portanto, como complemento dum estilo de vida saudável, com as recomendações que fiz anteriormente, podem ser consumidos alguns suplementos alimentares em moderação para manter o sistema imunitário na sua máxima capacidade:

  • A vitamina C ajuda a encurtar a duração das constipações e funciona como anti-histamínico e anti-inflamatório natural;
  • A vitamina D reduz o risco de gripe e constipações e pode ser tomada regularmente;
  • A vitamina A, se tomada ocasionalmente, pode ajudar o sistema imunitário a combater sobretudo infecções respiratórias;
  • O zinco pode ajudar a reduzir o número de infecções e a reduzir a duração das constipações, se tomado nas primeiras 24h de sintomas;
  • O selénio é um nutriente essencial para o sistema imunitário, funcionando também como antioxidante;
  • O mel reduz dores ligeiras e inflamação, tem propriedades antioxidantes e pode ajudar a melhorar a tosse e a garganta inflamada, mas não deve ser dado a crianças com menos de um ano;
  • O alho pode prevenir e reduzir a gravidade das constipações;
  • Os probióticos contêm bactérias que melhoram a saúde do aparelho digestivo e regulam o funcionamento do sistema imunitário, podendo reduzir o número de infecções respiratórias, especialmente nas crianças;
  • Mais recentemente, alguns estudos têm demonstrado alguma eficácia dos beta-glicanos, dos cogumelos, da berberina, do sulforafano e dos frutos do sabugueiro.

Mas repito: os suplementos são isso mesmo: suplementares a um estilo de vida saudável. De nada adianta enfrascar-se em suplementos, se passar o dia sentado, comer fast-food todos os dias, dormir de menos ou sem uma rotina adequada, andar muito estressado, fumar, beber e não cumprir as medidas de prevenção da transmissão da Covid-19.

Mais: alguns destes suplementos ainda precisam de ser mais estudados, para confirmarmos a sua real utilidade e também os seus riscos, e nem todos podem ser consumidos por toda a gente; e, acima de tudo, nenhum destes suplementos é tratamento recomendado para Covid-19 ou para qualquer outra doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *